Não há como não começar o Pare & Pense Tecnologia dessa semana sem comentar o vídeo da última semana que o videologueiro Denis Lee criou. Foi um sucesso para seus seguidores em redes sociais. Para quem não viu, é possível vê-lo aqui:

Pois bem, o vídeo é muito bom, trata dos e-books, que sou entusiasta. Mas o que há de melhor é , à  discussão sobre os aspectos sociais envolvidos. Como nosso colega oriental demonstra em seu vídeo, o e-book não basta ser lançado. É importante haver uma mudança cultural. Não se trata apenas de comprar um gadget para resolver o problema ecológico.

Entre o consumo e as demandas sociais

Quando falamos de sustentabilidade, devemos pensar não apenas no aspecto econômico, mas no impacto real que a sociedade terá com alguma novidade, com alguma mudança tecnológica, novo produto, etc. Caso contrário apenas teremos um “brinquedo novo” que gerará lucro para alguma empresa que dir-se-á “sustentável”. Usemos outro vídeo de Denis Lee para que expliquemos de forma mais simples:

Ah, agora sim. Como a coluna fala de tecnologia, podemos pensar em quaisquer tecnologias. Um carro elétrico ou movido a energia elétrica em nada soluciona problemas de metrópoles. É por isso que o provável lançamento de um carro elétrico pelo empresário Eike Batista, fabricado no Brasil, deve ser questionado. Não falo que é uma iniciativa ruim, mas o transporte público deve ser priorizado, acima de tudo. E, transporte sobre trilhos para mim é a solução. O desenvolvimento de um transporte de massas ágil e limpo é sim uma solução verdadeiramente sustentável, porque atende as demandas sociais.

Sabemos o que é ser sustentável. Então podemos definir o que não é, claro. Acho que já é possível verificar o que é apenas discurso para consumir e o que realmente tem compromisso em tornar o mundo melhor. Basta olhar o impacto social, ter uma visão em macroescala. E, nada melhor que o clássico vídeo A História das Coisas pra ter uma noção do que estou falando.

Crítica ao modismo

Acredito que já fui por demais claro sobre a minha visão acerca do que é sustentabilidade. É importante diferir o que realmente visa uma alteração estrutural do meio ambiente de iniciativas compensatórias isoladas de empresas. Isso é o modismo verde. Iniciativas verdes, produtos verdes, “ondas verdes” e até candidatos políticos verdes (marcianos!?) foram criados. Alto lá, acho que devemos nos policiar para saber se estamos surfando na onda ou apenas sendo levados por ela.

Como a postagem está repleta de vídeos e referências encerro com um pouco de humor ácido, para que questionemos um pouco toda essa “onda verde” e “sustentável”. Cerceemos o modismo.

Obs.: Discordo de inúmeras posturas preconceituosas do autor. Acredito em iniciativas individuais que são importantes para a mudança do quadro social. Apenas inseri esse vídeo pois o mesmo serve para atentar sobre o modismo a qual me referi, bem como ao fetiche do consumo que é reiterado pela suposta “sustentabilidade” sem preocupação social.

DEIXE UMA RESPOSTA