Sou da época em que se trocava disquete de joguinhos (sim, cabiam vários jogos em cada disquete) com os amigos. Vi surgirem e partirem redes de pirataria compartilhamento de arquivos como Napster, Kazaa, AudioGalaxy e eMule (que descansem em paz. Menos o eMule, tadinho, virou um zumbi infestado de spam). Uma novidade trazida por este último foram os Magnet Links.

As primeiras redes de peer-to-peer eram centralizadas: você era obrigado a se conectar a um servidor central para poder se conectar a outros usuários ou pesquisar quais arquivos estavam disponíveis. Se o servidor ficasse lotado, offline, (ou fosse fechado pelo FBI), babau.

Com o surgimento dos torrents, acabou a necessidade de um servidor centralizado, mas acabou também a moleza de pesquisar os arquivos direto no programa de P2P: agora era preciso utilizar os “sites de busca de torrents”, como Pirate Bay, Mininova, btjunkies, etc; e baixar o “arquivo de torrent” contendo informações sobre o arquivo e os trackers. (E o FBI deixou de ir atrás dos servidores e começou a fechar trackers e sites de busca de torrent).

O que são os Links Magnéticos

Entram em cena novamente os Magnet Links, ou Links Magnéticos, uma forma de criar um link para arquivos em redes de compartilhamento de arquivos. Ao contrário dos protocolos “normais”, não indicam em qual servidor o arquivo se encontra, e sim descrevem características do arquivo (nome, tamanho, hash, etc) e o seu programa se encarrega de procurá-lo nas redes P2P; eliminando a necessidade de trackers, arquivos “.torrent” e de sites de busca de torrents.

Como Funciona

Como qualquer outro link, você copia-e-cola ou encontra em um site e clica para fazer o download, mas em vez do prefixo “http://” ou “ftp://” eles começam com “magnet:”

Um magnet link tem a seguinte aparência:

magnet:?xt=urn:btih:5cd734ded5c6a09c6eddc64d039c807b1257fa18

Também é comum encontrar magnet links identificados pelo ícone a seguir:

Ubuntu 11.10

Os links acima apontam para uma ISO do Ubuntu, e só funcionam, óbvio, se houver um programa instalado que reconheça magnet links.

É seguro?

A diferença entre baixar um torrent um um link magnético é puramente técnica, o resultado final será o mesmo arquivo, então a chance de vulnerabilidade é a mesma: essencialmente, baixar um vírus ou malware e instalar. Para isso, basta usar o bom-senso. Entretanto, os magnet links não incluem informações como disponibilidade de seeds, ratings, confiabilidade, e nem mesmo trackers (é opcional). Cada magnet link é um tiro no escuro e é preciso confiar na fonte que está te fornecendo o magnet link.

Pirataria

Assim como um torrent, um magnet link não é necessariamente usado para a pirataria. Você pode, por exemplo, baixar uma ISO de Linux. Assim como um torrent, 95% das pessoas vão usar para a pirataria. Assim como um torrent, existirão (e já existem) sites que oferecem listas de magnet links para compartilhamento. Assim como um torrent, o FBI irá atrás desses sites…

Como usar

  1. Baixe e instale um programa que aceite magnet links.
  2. Visite um site que ofereça listas de magnet links (ou procure no google, algum fórum, sei lá)
  3. Clique no magnet link (ou abra o programa e cole manualmente).

Quais programas usar

Use o uTorrent. Existem outros, mas ele tem menos de 1 Mb, é prático, rápido, estável, bonito, tem suporte a mobile, permite criar Magnet Links com um clique e abre os magnet links direto do navegador. Sério, use o uTorrent.

Para criar magnet links, é possível usar o próprio uTorrent (clique com o botão direito sobre um item da lista e escolha “Copiar magnet URI”), ou então usar o Magnetizer para converter vários arquivos “.torrent” em magnet links.

Fontes: Meiobit | Addictive Tips

2 Comentários

  1. Legal cara! Muito bacana, não tinha conhecimento sobre como funcionava, mas a melhor parte é que se trata de um compartilhamento onde ninguém sabe ao certo de onde vem!

DEIXE UMA RESPOSTA